Vôos do Brasil são autorizados em todos aeroportos americanos, mas turismo continua restrito

A partir de segunda-feira (14) as companhias aéreas voltam a ter autorização para operar vôos diretos do Brasil para todos aeroportos americanos em que operavam antes da pandemia; a medida, porém, não autoriza turistas a viajarem para os EUA.

Até o último domingo, vôos entre Brasil e EUA só podiam operar em 15 aeroportos americanos em atendimento à uma ordem executiva do presidente Donald Trump que obrigava cidadãos americanos e residentes permanentes a passar por postos de checagem de saúde instalados nesses aeroportos selecionados.

A partir de agora, com o fim da checagem de saúde, as companhias aéreas podem restabelecer as rotas que eram operadas antes da restrição.

Turismo continua restrito

A flexibilização no entanto não autoriza a entrada de qualquer tipo de passageiro. Somente cidadãos americanos, residentes permanentes, pessoas com vistos especiais de trabalho e autoridades diplomáticas poderão desembarcar no país tendo estado ou passado pelo Brasil nos últimos 14 dias.

Turistas brasileiros permanecem proibidos de desembarcar nos EUA se vierem em vôo direto ou se tiverem passado pelo Brasil nos últimos 14 dias.

A liberação aos turistas deve ser a próxima etapa nos esforços de normalização do tráfego de pessoas entre os dois países. Ainda não há data prevista para essa próximas etapa.

A embaixada dos EUA no Brasil também esclareceu em seu site a flexibilização que passa a valer a partir de hoje.

A flexibilização das regras será aplicada também para aeronaves que saírem da China (com a exceção de Macau e Hong Kong), Irã, Reino Unido e Irlanda além dos 26 Estados que compõe a Zona de Schengen, na União Europeia.

O que você pensa sobre esse assunto?