Twitter proíbe divulgação de notícia sobre filho de Joe Biden; CEO culpa área de comunicação

O Twitter proibiu na quarta-feira (14) que qualquer usuário publicasse na rede social uma reportagem de um dos maiores jornais dos Estados Unidos, o New York Post, sobre o filho do candidato democrata Joe Biden, Hunter Biden.

O Facebook também anunciou que censuraria a matéria, neste caso, diminuindo o alcance da reportagem na sua plataforma, evitando assim que usuários tomem conhecimento do conteúdo.

A reportagem do New York Post, que pode ser lida na íntegra no site do jornal, divulga e-mails recuperados de um laptop com conversas entre Hunter Biden e Vadym Pozharskyi, um conselheiro do board da empresa ucraniana de energia Burisma, empresa onde Hunter ocupava cadeira no board com um salário mensal de US$ 50 mil.

Segundo os supostos e-mails, Hunter teria conseguido um encontro entre Vadym e seu pai, Joe Biden, em Washington DC quando era vice-presidente.

Segundo e-mail divulgado pelo Post, Vadym agradeceria a Hunter pela oportunidade de conhecer seu pai e ainda propunha um rápido encontro antes de deixar Washington.

“Caro Hunter, obrigado por me convidar para DC e dar a oportunidade de conhecer seu pai e passar [sic] algum tempo juntos. É uma realidade [sic] uma honra e um prazer ”, diz o e-mail.

O Post diz que “O computador foi deixado em uma oficina em Delaware, estado de Biden, em abril de 2019, de acordo com o proprietário da loja.

Outro material extraído do computador inclui um vídeo obsceno de 12 minutos que parece mostrar Hunter, que admitiu ter problemas de dependência, fumando crack enquanto praticava um ato sexual com uma mulher não identificada, bem como inúmeras outras imagens sexualmente explícitas.”

O computador, porém, nunca teria sido pego de volta. O jornal diz que o computador já estava em poder do FBI desde dezembro, quando o dono da loja alertou a agência federal sobre a existência dele.

‘Mas antes de entregar o equipamento, diz o dono da loja, ele fez uma cópia do disco rígido e depois o deu ao advogado do ex-prefeito Rudy Giuliani, Robert Costello’, relata o jornal.

A matéria completa pode ser lida aqui.

Censura nas redes

A reportagem foi amplamente censurada no Twitter e no Facebook. O Twitter baniu totalmente a possibilidade de compartilhamento via timeline ou ‘mensagem direta’.

Os tweets com o link para a matéria foram apagadas pelo Twitter na página do NY Post.

Usuários relataram o bloqueio da URL na plataforma com um aviso do Twitter dizendo que o conteúdo não poderia ser compartilhado.

O Facebook, por meio de um de seus funcionários da área de comunicação, disse que a plataforma reduziria o alcance da matéria na plataforma.

Andy, que ostenta em sua BIO do Twitter ligações com o House Majority PAC, um fundo de financiamento para campanhas democratas; com a senadora democrata Bárbara Boxer, da Califórnia; com o DCCC, grupo que atua para a eleição de democratas para a Câmara federal; e com o representante democrata pela Califórnia, Jerry McNerney.

A conta pessoal no Twitter da secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnani, chegou a ser bloqueada por compartilhar conteúdo da matéria.

As contas do ator James Woods e do jornalista da emissora OANN, Jack Posobiec, também foram censuradas.

Os senadores republicanos Josh Hawley (MO) e Ted Cruz (TX) enviaram pedidos de esclarecimentos para o Twitter e Facebook. O deputado republicano Ken Buck (CO) também enviou.

O senador Josh Hawley também enviou para a Comissão Eleitoral Federal pedido para abertura de investigação contra Twitter e Facebook.

Trump reage

“Tão terrível que o Facebook e o Twitter publicaram a história sobre e-mails do “Smoking Gun” relacionados a Sleepy Joe Biden e seu filho, Hunter, no @NYPost. É apenas o começo para eles. Não há nada pior do que um político corrupto. REVOGUEM A SEÇÃO 230 !!!”

Twitter

O Twitter justificou horas depois que a censura se deu por conta das imagens da intimidade de Hunter e pela matéria conter fruto de hack.

O CEO do Twitter, porém, reagiu momentos depois condenando a ação da área de comunicação do Twitter, considerando a postura “inaceitável”.

“Nossa comunicação sobre nossas ações no artigo @nypost não foi ótima. E bloquear o compartilhamento de URL via tweet ou DM sem contexto do motivo pelo qual estamos bloqueando: inaceitável.”

One thought on “Twitter proíbe divulgação de notícia sobre filho de Joe Biden; CEO culpa área de comunicação

  1. o TWITER disse que não aceita notícia de origem de hackers para proibir a notícia do NYT, mas aceitou o sem problema o caso dos hackers dos celulares do Moro e dos procuradores divulgado pela Intercept.

O que você pensa sobre esse assunto?