Suspeito de matar apoiador de Trump se diz “100% Antifa”

Um homem de 48 anos está sendo investigado pela polícia por suspeita de ter matado no sábado (29) um apoiador do presidente Donald Trump no centro de Portland, conforme noticiado pelo Direto da América.

Michael Forest Reinoehl se autodenomina antifascista e postou vídeos e fotos de manifestações de que participou em suas redes sociais utilizando as hashtags #blacklivesmatter, #anewnation e #breonnataylor.

Fontes disseram ao portal Oregon Live sob condição de anonimato que a polícia está investigando Reinoehl. A irmã de Reinoehl confirmou, segundo o portal, ter visto screenshots de vídeos publicados nas redes sociais e confirmou ter reconhecido o irmão nas imagens.

O suspeito, Reinoehl, participou de diversos atos da Antifa e do Black Lives Matter nos últimos meses em Portland e já havia sido detido por portar uma arma carregada quando participava de um ato na madrugada de 5 de julho.

“Entramos em contato com a polícia e confirmamos que reconhecemos Michael nas imagens”, disse ela. Ele tem um filho e uma filha e está separado da mãe, disse a irmã.

“Tenho amigos, família e entes queridos em ambos os lados do conflito”, disse a irmã de Reinoehl. “A violência gera violência e o ódio gera ódio. Esta não é a solução. Meu coração está com a vítima. Sempre foi, antes mesmo de eu saber que meu irmão estava envolvido. ”

Em 16 de junho, Michael Forest Reinoehl escreveu: “Toda revolução precisa de pessoas dispostas e prontas para lutar. Muitos de nós, manifestantes, estão apenas protestando sem ter ideia de onde isso vai levar. Isso é apenas o começo é onde a luta começa. Se isso é tudo que você pode ir, obrigado por sua participação, mas por favor, fique de lado e apoie aqueles que estão dispostos a lutar. Sou 100% ANTIFA até o fim! Estou disposto a lutar por meus irmãos e irmãs! … Não queremos violência, mas também não vamos fugir dela! … Os manifestantes de hoje e a antifa são meus irmãos de armas.”

A vítima

Aaron Danielson, chamado de Jay Bishop por alguns, era um apoiador do grupo conservador Patriot Prayer, foi baleado no peito e morreu na rua por volta das 21h no horário local, após ter participado de uma carreata de apoiadores do presidente Donald Trump pela cidade de Portland.

Antifa celebrou o assassinato

“Não estou triste porque um maldito fascista morreu esta noite”, disse uma mulher numa reunião da Antifa no centro de Portland. A multidão ri e aplaude.

O que você pensa sobre esse assunto?