Número médio de novos casos de coronavírus nos EUA cai para 42 mil por dia puxado por Flórida e Texas

Os Estados Unidos registraram 34.567 novos casos de pessoas infectadas pelo coronavírus chinês no domingo (23), de acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins, atingindo o nível mais baixo em mais de dois meses e marcando o nono dia consecutivo com menos de 50.000 novos casos. Em 24 de julho, o país chegou a bater a marca de 74 mil novos casos.

A média de novos casos em sete dias até o domingo (23) foi de 42.638, abaixo da média das duas semanas anteriores de 46.915. A média de sete dias nos EUA tem sido inferior à média das duas semanas anteriores por quase um mês.

Atualmente existem cerca de 12 estados reportando aumento nos casos, no entanto, são estados que foram menos afetados ao longo da pandemia e que agora registram aumento numericamente também baixo. O estado que registrou o maior aumento no número de casos para cada cem mil foi a Dakota do Sul, saindo de 70 novos casos em 11 de agosto para 195 em 22 de agosto, por exemplo.

Flórida e Texas puxam a queda

Os estados que vinham registrando um número diário de novos casos extremamente elevado até poucas semanas atrás, todos localizados no cinturão do sol, no sul dos EUA, são os que registram agora a maior queda, puxando o total nacional para baixo.

A Flórida, que chegou a registrar um pico de 12.761 novos casos totais em 12 de julho, registrou 6.031 em 11 de agosto e 3.181 no domingo, 23 de agosto.

De forma muito semelhante, o Texas, que em 16 de julho teve um pico de 12.730 novos casos, registrou 6.883 em 11 de agosto, e 4.272 novos casos domingo, 23 de agosto.

O Arizona teve seu pico de novos casos em 1º de julho, quando registrou 4.300 pessoas infectadas, depois 840 em 11 de agosto e 505 em 23 de agosto.

Trump autoriza plasma convalescente no tratamento para coronavírus

A administração Trump concedeu no domingo (23) autorização de emergência para uso de plasma convalescente no tratamento de pacientes hospitalizados com coronavírus.

A Food and Drug Administration, agência governamental de regulamenta medicamentos, disse que está concedendo autorização de emergência porque é razoável acreditar que o plasma convalescente pode ser eficaz no tratamento de pacientes com coronavírus e os benefícios conhecidos e potenciais superam os riscos conhecidos e potenciais de tal tratamento.


FONTES: Johns Hopkins University

O que você pensa sobre esse assunto?