Jacob Blake abusava sexualmente mulher que chamou a polícia; veja detalhes do caso

Jacob Blake, o homem baleado por um policial em Kenosha, Wisconsin, é acusado em uma ação-crime, obtida pelo New York Post, de invadir a casa de uma mulher que ele conhecia e de abusá-la sexualmente repetidamente.

Blake foi baleado sete vezes por um dos policiais que atendia a ocorrência e que tentou contê-lo por duas vezes com o uso de taser. Blake estava armado com uma faca e desobedeceu todas as ordens dos policiais para se render. O episódio fez com que Blake fosse tratado como herói por movimentos extremistas como Black Lives Matter e Antifa, desencadeando uma nova onda de violência.

O jornal New York Post obteve a ficha criminal de Blake, revelando que o “herói” do Black Lives Matter é na realidade um estuprador perigoso que abusava sexualmente uma mulher por vários anos.

A vítima, que segundo o Post, só é identificada por suas iniciais nos documentos obtidos pelo jornal, disse à polícia que estava dormindo na cama com um de seus filhos quando Blake entrou no quarto por volta das 6 da manhã e supostamente disse “Eu quero minha merda”, afirma o registro.

Ela disse aos policiais que Blake usou o dedo para agredi-la sexualmente, a cheirou e disse: “Cheira como se você tivesse estado com outros homens”, alega a queixa criminal.

Ela disse à polícia que “estava irritada, mas se recompôs” e então supostamente saiu correndo pela porta da frente atrás de Blake, diz a denúncia. Ela então percebeu que seu carro estava desaparecido, verificou sua bolsa e viu que as chaves não estavam ali e então “ligou imediatamente para o 911”, alega a denúncia.

A suposta vítima disse aos policiais que o conhece há oito anos e afirma que ele a agride fisicamente “cerca de duas vezes por ano, quando bebe muito”.

A polícia apresentou acusações contra ele por agressão sexual, invasão de propriedade e violência doméstica em julho, quando um mandado de prisão foi emitido.

A ocorrência

A declaração de Brendan Matthews, advogado da Kenosha Professional Police Association, traz detalhes não divulgados até o momento sobre a ocorrência que levou Blake a ser baleado.

Os tiros contra Jacob Blake no domingo (23) desencadeou uma nova onda de violência, incluindo a morte de duas pessoas por um civil armado na terça-feira, que aparentemente agiu em legítima defesa após ser perseguido por membros do Black Lives Matter que tentavam agredi-lo, um deles armado com uma pistola.

Um vídeo de celular mostra o policial de Kenosha Rusten Sheskey e outro policial seguindo Blake com suas armas em punho enquanto ele caminha pela frente de um SUV estacionada enquanto os policiais respondiam a uma chamada de disputa doméstica.

De acordo com Matthews, os policiais foram enviados para lá por causa de uma reclamação de que Blake estava tentando roubar as chaves e o veículo de quem ligou. Matthews disse que os policiais sabiam que Blake tinha um mandado aberto por agressão sexual antes de chegarem.

Blake estava armado com uma faca, mas os policiais não a viram inicialmente, disse Matthews.

“Os policiais o viram segurando a faca pela primeira vez enquanto estavam do lado do passageiro do veículo”, disse ele.

A testemunha que gravou o episódio, Raysean White, de 22 anos, disse que viu Blake brigando com três policiais e os ouviu gritar: “Largue a faca! Largue a faca! ” antes dos disparos. Ele disse que não viu uma faca nas mãos de Blake. Investigadores estaduais disseram apenas que os policiais viram uma faca no chão do carro, segundo a emissora local 4WWL.

Matthews disse que os policiais fizeram vários pedidos a Blake para largar a faca, mas ele não cooperou. Ele disse que os policiais usaram um Taser em Blake, mas isso não foi suficiente para pará-lo.

“Blake lutou vigorosamente com os policiais, inclusive colocando um dos policiais em uma chave de braço”, disse Matthews. Um segundo disparo de Taser também não o impediu, disse ele.

“Com base na incapacidade de obter obediência e controle após o uso de meios verbais, físicos e menos letais, os policiais sacaram suas armas”, disse Matthews. “Sr. Blake continuou a ignorar os comandos dos oficiais, mesmo com a ameaça de força letal agora presente.”


FONTES: New York Post, 4WWL, Associated Press

O que você pensa sobre esse assunto?