EUA anunciam 100 milhões de vacinas da Sanofi-GSK por US$2 bi

O governo dos EUA pagará US$ 2,1 bilhões às farmacêuticas Sanofi e GlaxoSmithKline por 100 milhões de doses de vacina contra o COVID-19, número suficiente para imunizar 50 milhões de pessoas, informaram as empresas na sexta-feira (31).

O acordo da Sanofi-GSK é de 100 milhões de doses, duas por pessoa, e dá ao governo americano a opção de comprar 500 milhões de doses adicionais a um preço ainda não especificado. A francesa Sanofi e a britânica GSK planejam iniciar testes clínicos para a vacina em setembro, segundo a Reuters.

Esse é o maior acordo fechado até agora pelo governo americano com farmacêuticas.

Pfizer: 600 milhões de doses para os EUA

O governo dos EUA confirmou acordo de US$ 1.95 bilhão com a farmacêutica americana Pfizer no dia 22 de julho para garantir a compra de 100 milhões de doses iniciais da vacina para COVID-19 desenvolvida em parceria com a alemã BioNTech. O acordo também prevê a compra adicional de outras 500 milhões de doses. As vacinas provenientes dessa parceria serão oferecidas pelo governo “gratuitamente” ao povo americano.

A Pfizer espera produzir até 100 milhões de doses até o fim de 2020 e 1.3 bilhão de doses até o fim de 2021. O acordo com a Pfizer e a BioNTech é o segundo maior dos EUA até agora para garantir o fornecimento de vacinas para o coronavírus chinês.

Outros acordos

Como parte do programa Operation Warp Speed, os EUA já fecharam acordos com outros desenvolvedores de vacinas para garantir milhões de doses, incluindo um contrato de US$ 1,2 bilhão com a AstraZeneca para ao menos 300 milhões de doses de uma vacina desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Oxford. Um outro acordo de US$ 1,6 bilhão com a Novavax financiará estudos clínicos de sua vacina experimental e estabelecerá a fabricação em larga escala.

O que você pensa sobre esse assunto?