Após guinada para o ramo farmacêutico, ações da Kodak disparam 2,441%

As ações da Eastman Kodak Co. saltaram 2.441% nesta semana, elevando seu valor de mercado para quase US$ 2 bilhões após a companhia confirmar a criação da Kodak Pharmaceuticals, ramo que será responsável pela fabricação de 25% da demanda norte-americana por ingredientes de medicamentos genéricos, incluindo aqueles para coronavírus.

A Kodak, outrora gigante do ramo de fotografia, viu seus negócios ruírem ao longo dos anos após o fenômeno das câmeras digitais.

Somente nesta quarta-feira (29), as ações da empresa dispararam 655%. O valor da empresa alcançou US$ 1,99 bilhão às 10h25, horário de Nova York, após fechar a sexta-feira passada a US$100 milhões.

“Este é o começo da independência farmacêutica americana de países estrangeiros”

disse o conselheiro comercial da Casa Branca, Peter Navarro, em entrevista à rede Fox Business.

“Quando isso acontecer, 25% dos [ingredientes farmacêuticos ativos] para genéricos de que precisamos nos Estados Unidos estarão exatamente nessas instalações [da Kodak, nos EUA.]”, disse Navarro na entrevista.

Hidroxicloroquina

Entre os ingredientes a serem produzidos pela empresa, estão aqueles necessários para a fabricação da Hidroxicloroquina, medicamento antimalárico utilizado também para o combate ao coronavírus.

Empréstimo de US$ 765 milhões

O otimismo do mercado acelerou muito após o anúncio feito na terça-feira (28) de um empréstimo da administração Donald Trump no valor de US$ 765 milhões para que a companhia operacionalize a Kodak Pharmaceuticals, novo ramo da empresa responsável pela fabricação de princípios ativos para medicamentos genéricos para o mercado americano.

A produção da Kodak Pharmaceuticals estará totalmente localizada em território americano e visa diminuir a dependência dos EUA de princípios ativos e outros ingredientes de países como a China e a Índia. A companhia é baseada em Rochester, estado de Nova York.

Para acelerar a produção e ajudar a empresa a estabelecer seu braço farmacêutico — a Kodak Pharmaceuticals — a empresa ganhou um empréstimo do governo de US$ 765 milhões sob a Lei de Produção de Defesa. O objetivo é o de acelerar a produção doméstica de medicamentos que podem tratar uma variedade de condições médicas e diminuir a dependência dos EUA de fontes estrangeiras, sobretudo da China.

“Temos uma longa história em materiais químicos e materiais avançados – bem mais de 100 anos”, disse o CEO da Kodak, Jim Continenza. Ele acrescentou que a infraestrutura existente da Kodak permite que a empresa “comece a produzir rapidamente”.

Mudança de rumo. Segundo o jornal The Wall Street Journal, a expectativa da companhia é a de que a produção farmacêutica corresponda de 30% a 40% de todos seus negócios ao longo do tempo.

O que você pensa sobre esse assunto?