Antifa que matou apoiador de Trump em Portland é morto pela polícia

Um membro do grupo extremista Antifa que vinha sendo investigado pela execução de um ativista de direita que fazia parte de uma caravana pró-Trump em Portland, Oregon, foi morto na noite de quinta-feira (3) quando policiais tentavam prendê-lo.

As autoridades disseram que Michael Forest Reinoehl, 48, foi morto durante a operação conduzida por US Marshals, em Lacey, Washington.

“100% Antifa”

Michael Forest Reinoehl se autodenomina antifascista e postou vídeos e fotos de manifestações de que participou em suas redes sociais utilizando as hashtags #blacklivesmatter, #anewnation e #breonnataylor.

Reinoehl participou de diversos atos da Antifa e do Black Lives Matter nos últimos meses em Portland e já havia sido detido por portar uma arma carregada quando participava de um ato na madrugada de 5 de julho.

Em 16 de junho, Michael Forest Reinoehl escreveu: “Toda revolução precisa de pessoas dispostas e prontas para lutar. Muitos de nós, manifestantes, estão apenas protestando sem ter ideia de onde isso vai levar. Isso é apenas o começo é onde a luta começa. Se isso é tudo que você pode ir, obrigado por sua participação, mas por favor, fique de lado e apoie aqueles que estão dispostos a lutar. Sou 100% ANTIFA até o fim! Estou disposto a lutar por meus irmãos e irmãs! … Não queremos violência, mas também não vamos fugir dela! … Os manifestantes de hoje e a antifa são meus irmãos de armas.”

A vítima

Aaron Danielson, chamado de Jay Bishop por alguns, era um apoiador do grupo conservador Patriot Prayer, foi baleado no peito e morreu na rua por volta das 21h no horário local, após ter participado de uma carreata de apoiadores do presidente Donald Trump pela cidade de Portland. 

Antifa celebrou o assassinato

“Não estou triste porque um maldito fascista morreu esta noite”, disse uma mulher numa reunião da Antifa no centro de Portland. A multidão ri e aplaude.

O que você pensa sobre esse assunto?